Em reunião realizada na manhã da última segunda-feira (27), a conselheira Teresa Duere cobrou da Companhia Estadual de habitação (CEHAB) providências que garantam a continuidade da construção do Canal do Fragoso e da Via Metropolitana Norte, localizados na cidade de Olinda. A obra do canal, que teve início em março de 2013, vem sofrendo prejuízos em sua evolução, em decorrência de entraves burocráticos e da desarticulação dos órgãos envolvidos. Já a obra da Via Metropolitana Norte, ainda não iniciada, e que sofre dos mesmos problemas, envolve a construção de um trecho do Canal do Fragoso, um viaduto sob a rodovia PE-15 e as duas vias marginais do canal, ligando a PE-15 à ponte do Janga.

A construção do canal do Fragoso tem como objetivo facilitar o escoamento de água no período de chuva e evitar os alagamentos na área. A obra deveria ser concluída no próximo mês de dezembro, mas os serviços atrasaram em razão de entraves burocráticos e da desarticulação dos órgãos envolvidos no processo de construção.

Durante a reunião com a conselheira, realizada no canteiro de obras da Construtora Ferreira Guedes, em Olinda, representantes do grupo de trabalho responsável pelo acompanhamento dos trabalhos informaram as providências que precisam ser tomadas para que a obra não seja interrompida, sendo elas, a remoção de uma tubulação de responsabilidade da Compesa, a definição do projeto para construção de um viaduto e duas alças de acesso sob a PE-15, além das desapropriações na área. Teresa Duere sugeriu também a realização de estudos que reduzam o percentual de reajuste do custo da obra.

PROVIDÊNCIAS - Ao fim do encontro, Teresa Duere se comprometeu em ajudar a destravar as pendências para evitar a paralisação da obra. Uma das medidas será o envio de um Alerta de Responsabilização ao prefeito de Paulista, Júnior Matuto (com cópia para à Câmara de Vereadores do município), cobrando a sua participação nas reuniões. A conselheira disse também que vai notificar a Compesa para que seja providenciada a remoção da tubulação de sua responsabilidade. “Essa obra não pode se transformar em mais um elefante branco no estado. Houve uma mudança de gestão na Secretaria de Habitação, agora sob a responsabilidade do secretário Caio Maniçoba, o que renova as esperanças de que os entraves sejam equacionados e a obra possa fluir", afirmou ela.

Além do Tribunal de Contas, integram o Grupo de Trabalho Canal do Fragoso, o Ministério Público de Pernambuco, a Procuradoria Geraldo Estado, a CPRH, a Prefeitura de Olinda e o Ministério das Cidades. A próxima reunião está marcada para o próximo dia 17 de dezembro.

Gerência de Jornalismo (GEJO), 29/11/2017